O Que é Ibogaína

O Que é Ibogaína

O tratamento da dependência química não é algo fácil, é difícil realizar o tratamento justamente porque não há um remédio eficaz imediato, mas você já ouviu falar em o que é ibogaína? Muitos já se sabem que a doença do comportamento adictivo aliado ao consumo de substâncias psicoativas é progressiva, incurável e fatal. Sendo assim, não se existe um remédio milagroso para realizar a cura da dependência química à curto prazo. Uns recorrem ao acompanhamento psicoterápico, outros à medicamentosos. Algumas vezes chegam a realizar o processo cruzando esses dois recursos citados, e outras vezes – em casos mais necessários – a família recorre ao procedimento de internação.

A internação nada mais é que um assistencialismo importante para o tratamento da dependência química. Muitos dependentes que não conseguem cessar o uso da substância de escolha, normalmente precisam de um tempo para poderem tratar a si mesmos. E as instituições de recuperação nada mais são que um cuidado extremo em tempo integral. Desta maneira, independentemente da forma de internação, dentro de uma instituição a adesão ao tratamento começa a ser realizada lentamente. Por isso a primordialidade de se permanecer alguns meses dentro de uma instituição.

Todavia, nós do Grupo Reabilitação vamos focar nossas energias desta matéria informativa em uma substância que tem chamado a atenção de muitas pessoas, sendo elas usuários de drogas ou não, no tratamento da doença do comportamento adictivo aliado ao consumo de narcóticos. Tal recurso é chamado de ibogaína e progressivamente tem gerado discussões entre médicos renomados no Brasil e no mundo. Posto isso vamos explicar o que é a ibogaína, como funciona o tratamento da dependência química juntamente com esse recurso, se é um meio legal ou não, quais profissionais estão utilizando e por fim, a eficácia no tratamento da doença do comportamento adictivo aliado a narcóticos.

O que é Ibogaína

Pessoas que sofrem com a dependência crônica de cocaína/crack e heroína, além dos métodos convencionais de tratamento como a internação involuntária e voluntária em instituições, tem-se recentemente ouvido falar sobre o tratamento alternativo através de uma substância chamada ibogaína. Apesar de estar sendo utilizada como método alternativo no tratamento de pacientes com dependência forte em drogas estimulantes, a ibogaína ainda não é reconhecida pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) como substancia regulamentada para o tratamento de usuários de drogas.

A ibogaína é uma substância extraída de uma planta chamada Iboga natural de países africanos, especificamente do Gabão. Até hoje em dia, a ibogaína é utilizada em rituais dos povos Bwiti. Estima-se, que a mesma seja utilizada para o tratamento emocional dentro destas tribos locais há séculos. Concomitantemente, tais tribos a utilizavam nos rituais como fonte de desintoxicação. Todavia, a planta é tóxica, tem efeitos alucinógenos e alguns estudos revelam que o alto consumo pode levar a transtornos psiquiátricos graves e irreversíveis.
(Fontes: Noticias.R7 – Segredos do Mundo – O que é Ibogaína e Porque ela é proibida no Brasil – <https://noticias.r7.com/hora-7/segredos-do-mundo/ibogaina-o-que-e-quais-seus-efeitos-e-por-que-e-proibida-no-brasil-14082019> ; Estadão – Tratamento contra as drogas, Ibogaína e seus Efeitos – <http://patrocinados.estadao.com.br/medialab/projeto-navas/release-geral-tratamento-contra-as-drogas-a-ibogaina-e-seus-efeitos/>

O tratamento da Dependência Química com a Ibogaína

Conforme anteriormente declinado acima, a dependência química é uma doença de difícil tratamento e que exige em empenho tanto do usuário e dependente quanto para a família que serve de apoio. Recaídas são processos dolorosos em que recursos emocionais e financeiros, mas que estão sujeitas a acontecer. Além do mais justamente quando se inicia o processo de cessar uso da substância, a sensação de desconforto aparece em forma de abstinência.

É justamente aí que a Ibogaína atua como suporte. Sendo este, como princípio amenizar eu eliminar de vez a sensação de abstinência e fissura da substância. Além do mais, a substância não só age como um facilitador mas encurta os caminhos no tratamento da dependência química, o que se estenderia por meses em instituições, o tratamento pela Ibogaína seria realizado em torno de 7 dias.

Ibogaína é legalizada?

Apesar de ser uma substância relacionada a medicina moderna, e que serviria como um meio milagroso para o tratamento da dependência química justamente pela sua rapidez no auxílio ao tratamento, a ibogaína ainda não é legalizada no Brasil. A ANVISA cita em seus relatórios a necessidade de uma pesquisa sólida e que comprove mais especificamente, não apenas os benefícios, mas sua utilização pode trazer danos irreversíveis posteriores à longo prazo.

Em nota, no site da ANVISA existe uma ênfase relacionada ao consumo e distribuição da ibogaína em território nacional, que a utilização da substância é proibida por não conter estudos eficazes relacionados ao consumo da mesma.

A Agência relembra que existe uma lista com as substâncias sujeitas a controle especial. “No Brasil, são consideradas substâncias sujeitas a controle especial aquelas elencadas nas listas do Anexo I da Portaria SVS/MS 344/98. A ibogaína não consta de nenhuma destas listas. Portanto, nem a planta nem as substâncias dela extraídas estão sujeitas a controle especial no Brasil”. É importante destacar, ainda, que o Art. 5º da RDC 204/2006 determina a proibição.” (Fonte: ANVISA – Propaganda irregular: Tratamentos com ibogaína não estão regulamentados)

Quais os profissionais que utilizam deste recurso?

“O uso ocidental da ibogaína, especialmente sua aplicação no tratamento de transtornos por uso de substâncias, foi iniciado por Howard Lotsof. Em 1962, Lotsof, de 19 anos, constatou acidentalmente que uma dose única de ibogaína não apenas interrompeu sua dependência fisiológica da heroína, mas também eliminou o desejo de usá-la, sem sintomas de abstinência. Lotsof passou o resto de sua vida defendendo o desenvolvimento da ibogaína como medicamento de prescrição.” (Fonte: O Estadão – Dino – Tratamento contra as drogas, Ibogaína e seus Efeitos <http://patrocinados.estadao.com.br/medialab/projeto-navas/release-geral-tratamento-contra-as-drogas-a-ibogaina-e-seus-efeitos/>)

A Eficácia da Ibogaína

Estudos realizados em países desde 1940, referentes à utilização da substância ibogaína como recurso alternativo para o tratamento da dependência química, relataram na maioria dos casos que a substância possui mais benefícios do que malefícios ao tratamento.

Partindo dessa premissa e como fonte de pesquisa a universidade de Brasília recebeu um prêmio internacional relacionado a pesquisa sobre a substância ibogaína. As psiquiatras Maria Célia Vítor de Souza Brangioni e Deborah Thomaz Duarte de Azevedo, do Hospital Universitário de Brasília, receberam a gratificação pelo estudo justamente por conseguirem apontar que a planta traz benefícios imediatos à pessoas que sofrem com a fissura e abstinência de algumas substâncias.

Share:
Importante: Este site usa cookies e solicita seus dados pessoais para melhorar sua experiência de navegação.