TRATAMENTO DE DEPENDÊNCIA QUÍMICA

TRATAMENTO
PARA DEPENDÊNCIA QUÍMICA

A dependência química é um problema que tem causado diversos problemas sociais e profissionais, não só para quem se torna dependente, mas para quem convive com estas pessoas. Isto porque um dependente químico passa por transtornos em determinados momentos, tanto ao ingerir as substâncias em questão ou pela falta delas. Durante estes transtornos, muitas pessoas acabam prejudicando não só a si mesmo, como também as pessoas que se envolvem nestes processos sociais.

‘ Esta dependência se dá pelo uso de drogas que normalmente não são permitidas ou as legais, como o álcool e a nicotina. O que realmente faz com que um dependente químico seja um caso crítico a ser pensado na sociedade e que precisa ser ajudado, é que as substâncias químicas provocam uma ligação psíquica muito forte e assim, prejudicam as ações pessoais, sociais e profissionais.

Dependendo qual é o tipo da substância que se está dependente, o tempo para recuperação é diferenciado. Isto porque quanto maior o tempo que a pessoa estiver utilizando as substâncias químicas e mais fortes elas forem, mais tempo levará o tratamento. Outro ponto chave está na aceitação do dependente com relação a precisar de ajuda. Isto porque se esta aceitação não acontecer, as ajudas que serão disponibilizadas serão em vão.

A Organização Mundial da Saúde classifica a dependência química como doença, já que precisa de tratamento e altera a estrutura funcional da pessoa. Além desta classificação, também é considerada crônica e esta dependência pode ser gerada também por fatores genéticos, os chamados fatores de risco.

Isto porque nem sempre se tornar um dependente químico é escolha apenas da pessoa, algumas vezes estes fatores auxiliam para que este processo seja facilitado. Muitas pessoas já têm fatores genéticos voltados à tendência de adquirem problemas relacionados ao uso e dependência de componentes tóxicos e isso fará com que em alguns momentos, elas se mostrem mais fracas para não aceitar produtos que lhe são oferecidos, por mais mal que façam.

É muito raro um dependente químico solicitar a ajuda de alguém. Ele é internado ou começa a frequentar um espaço voltado a sua recuperação quando algum responsável por ele naquele determinado momento, seja da sua família ou do grupo de amigos, resolve ajuda-lo. Nem sempre existe essa pessoa, porque normalmente o dependente químico chega a um estágio em que a sua sanidade mental não permite mais que ele se relacione com ninguém, afastando as pessoas com quem convivia de si.

Para conseguir as drogas das quais ele tornou-se dependente, são feitos furtos e vendas destes produtos, quando não se tem mais dinheiro. Tudo isso porque a dependência é tanta, que essa é uma das únicas soluções encontradas para manter o vício. Algumas pessoas dizem que determinada pessoa entrou neste estágio porque escolheu, mas a questão não está relacionada a isso, mas sim em como fazê-la entender que se ela não parar e solicitar ajuda, pode não ter outra oportunidade.

Até porque, o erro está na primeira vez em que se experimenta uma substância química, o vício é apenas a consequência disso. Algumas drogas, como o crack, chegam a viciar a pessoa se ela experimentar apenas uma vez, de tanto efeito momentâneo que proporciona por isso o erro está neste primeiro momento, em aceitar o produto pela primeira vez.

Sem dúvida o lado emocional e psicológico da pessoa, além do momento em que ela está ajuda à droga a se tornar uma rotina de utilização pelo usuário, mas em alguns casos, mas depois de se tornar um dependente, não há mais o que se pensar a não ser, pedir ajuda e abandonar este espaço sem volta.

Sem volta porque dificilmente algum dependente químico consegue inserção na sociedade facilmente sem estar curado do vício, já que mesmo estando, em alguns momentos, passará por processos de exclusão social.

O tratamento pode exigir diversos tipos de profissionais envolvidos. Alguns deles são o psicólogo e o psiquiatra, médicos clínicos, terapeutas educacionais, assim como educadores físicos e enfermeiros. Também pode ser optado pelo tratamento individual ou em grupo.

Ele depende da pessoa e do que o seu caso exigirá, já que se este se enquadrar em uma situação muito grave, mais profissional estarão disponíveis para este atendimento. Quando a interação acontece, normalmente o psicólogo da clínica faz um diagnóstico e um planejamento de como este cliente será atendido durante a sua recuperação. Em meio a isso, então são construídos diversos sistemas que facilitem esta recuperação, que nem sempre é curta e simples.

O médico clínico, por exemplo, será o responsável por todos os cuidados do paciente com relação à fiscalização da internação e a medicação necessária. Os terapeutas educacionais auxiliarão na questão de tirar da cabeça do paciente que aquela dependência lhe faz bem, enquanto os enfermeiros serão mais específicos em cuidados básicos, inclusive de higiene pessoal, em alguns casos. Já os educadores físicos proporcionarão momentos de atividades que façam com que este dependente sinta-se bem, com a autoestima elevada e o corpo e a mente saudáveis.

SOBRE

Somos uma empresa que visa promover saúde e contamos com excelentes unidades de tratamento que atendem as necessidades de cada paciente. Mais que a obtenção de resultados, a satisfação do paciente e familiares é o nosso foco. Contamos com um corpo clínico altamente qualificado e preparado para atender todos os níveis de Dependência Química e comorbidades.

últimas postagens

CONTATO

Fixo: 11 4116.8001

WhatsApp e Vivo: 11 9 5639.3329
Nextel: 11 94743.9309

Tim: 11 95459.2525